domingo, 6 de julho de 2008

Existe Massa?

O texto abaixo foi desenvolvido para o curso de Comunicação Comparada, ministrado pelo professor Gerson de Sousa. Ele foi elaborado a partir da idéia do fim das massas, e da própria percepção de massas. Como poderão observar é apenas a conclusão. Mas a frente pretendo me aprofundar nesta discussão, pois acredito com fidelidade na idéia do fim da concepção de massa, pregada por alguns estudiosos.

Conclusão

Concluímos, portanto que os produtos ditos de “massa”, conhecidos nos meios acadêmicos, entre outros, como produtos de mau gosto, tem uma inestimável importância sociológica que precisa ser pensada, e não obstante sua grande penetração possui um peso grande e importante, e que deve ser considerado.
Quando entendemos que não existe massa percebemos que todo produto possui uma qualidade que deve ser analisada e considerada, tendo em vista que é consumida por determinados públicos, e estes devem ser sempre respeitados.
Não se deve analisar os produtos de forma simplista e redutora, limitando a observação a opiniões de acadêmicos e estudiosos que acreditam na concepção de massas, e em seus efeitos supostamente negativos para a cultura da população.
É claro que se observa interesses de lucro e dispositivos de controle ideológicos em muitas produções, mas devemos deixar claro que não é apenas isso, e que muitos dos produtos que muitas vezes são rotulados como de “massa”, possuem sim formulas interessantes, e que muitas vezes trazem avanços de pensamento e de atitudes.
O que é popular é importante na medida em que todas as camadas populacionais dos mais diferentes segmentos tem acesso a estes produtos e constituem uma ponte de influencia e entendimento dos modos de pensar, sentir e emocionar-se
do povo.

15 comentários:

Strider disse...

Fica difícil ir contra o conceito de "massa" quando ele já está tão arraigado em nossa sociedade. Principalmente se considerarmos quandos "produtos de massa" existem, quanta "cultura de massa", "esporte das massas", "massificação dos meios de comunicação". É muita grana na jogada.

Mesmo assim, é louvável a tentativa. Se eu fosse de SP ia querer ver seu texto completo.

Erica disse...

Concordo com você.O respeito é fundamental para que haja uma convivência harmônica em meio a tantas diferenças.Mas até atingirmos esse nível,há um longo caminho a ser trilhado...
Seu texto é maravilhoso!Parabéns!!!!

Mateus disse...

E ai Julio, td bem? Pra mim é muito gratificante receber elogios como o seu... Apesar do meu blog ser muito pouco conhecido, as pessoas que sempre passam por ele e gostam sempre voltam... e tb costumam elogiar, assim como vc! Isso faz com q eu fique sempre estimulado a manter o blog atualizado, msm q as vezes fique desanimado pela sua estagnação!

Quanto ao meu estilo de ver as coisas, veriqfique as postagens mais antigas (qdo tiver paciencia, claro) e veja outros textos, sempre tento manter uma tom bem personalizado, pois a maioria dos blogs de humor q tem por ai sao sempre com o mesmo conteudo.

De qualquer maneira, mais uma vez agradeço o comentário e volte sempre!

Victória Cássia disse...

Não sei se tenho algo tão bem ponderado a dizer, mas penso que padronizar uma parte tão grande da sociedade por algo tão chulo como "massa", "ralé", entre outros, é só mais uma forma de garantir a superioridade da classe dominante. Mais uma faceta do nosso universo capitalista.

Fico feliz por existir tal Conclusão.

P.S.: gostei do seu blog de forma significativa ;D
muito bom!

Daniel Leite disse...

Obrigado, Júlio, pela visita ao Repercutiu.

Gostei demais do seu blog. O fato de ele não ter um assunto específico parece ser bem explorado, abrindo espaço a todo tipo de discussão de qualidade.

Os produtos "de massa", penso, se conseguem atingir um patamar de grande alcance é porque apresentam alguma peculiaridade positiva. É claro que eles podem ser danosos, mas o fato é que dão grandes oportunidades de informação e formação de opinião aos seus consumidores.

Até mais!

Fernando Gomes disse...

Sábado postarei mais sobre crises de identidade, se quiser me visite
:D


http://andisaidgoddamn.blogspot.com/

Silas disse...

Oi Júlio, tudo certo?
Fico feliz em saber q le meu blog, não sabia q tbm tinha um. Ta muito interessante.
vou ver se passo aqui mais vezes, agente vai se falando
abraços

pais das abobrinhas disse...

Oi Julio, seu blog é muito interessante..seus textos são gostosos de ler..a dica sobre o teatro eu vou pegar e qd estiver em sp vou tentar ver...
ah, tb estudo publicidade e propaganda : D
bjs

Jalile* disse...

juuuuu...kd os novos post???
eu aki anciosa pra ler...seus textos verdadeiros e maraaaaaaa

Bjons*

THOMAS MARINHO disse...

É Júlio....me lembro bem deste trabalho e do quanto genialmente você o concluiu! Rotular tudo como massa, com toda certeza, é uma linha redutora e às vezes uma maneira de desmoralizar o que é popular, o que é consumido pelas pessoas dessa classe...você defendeu o popular, de forma justa, característica própria da sua personalidade. Espero sempre ter sua presença agregadora em meus trabalhos! Além de grande amigo, você é um pensador que admiro!

Grande beijo

Anônimo disse...

OLA JULIO TUDO BEM?.SEU BLOG É MUITO BOM, OBRIGADO PELO COMENTARIO..ADICIONEI SEU BLOG AO MEU OK? MUITAS PESSOAS GOSTARAO DE LER SUAS POSTAGENS..JA INDIQUEI PARA AMIGOS.... ass: VICENTS

http://universodadiversidade.zip.net/

NegoSilas Traceur disse...

perfect! texto muito bom... axu q vc ganhou um novo leitor de seu blogg ;)

vlw!

Elisa disse...

Cursei Comunicação Comparada semestre passado. Infelizmente, a minha turma não chegou a mesma conclusão que você (com a qual eu concordo plenamente e que defendi com afinco).

Para mim, um dos grandes problemas dos teóricos da comunicação é sempre criticar os meios atuais, mas sem propor algo viável. Sempre tenho a sensação de utopia nos textos.

Seja quem for! Ramonet, Stuart Hall, Pierre Levy...

O sensacionalismo, o "banal", a comunicação de massa... tudo tem uma razão de existir que vai além do lucro. Não adianta colocar somente programas educativos na televisão. Desligar o aparelho é muito fácil.

Parabéns pelo post. Gostaria de ler o resto do seu texto.

Felipee disse...

Ju,meu querido!(Não vai ser um comentário e sim uma constataçao,um comentário sobre você,que é um grande amigo!)
Mto bom teu blog!Um dos melhores com certeza...se me perguntar se eu li algum outro vou dizer que nao...mas nem preciso...a sua sensibilidade é notória e para escrever bem é algo extremamente necessário...nem todos têm,aliás,é o tipo de coisa qua nao basta querer....tem que ser assim!
Parabéns pelos textos que ja foram postados e os que ainda estão por vir!
Parabéns por ser assim!
Ju,é uma honra ser teu comtemporâneo!
E, como diria o poeta Vinicius de Moraes, ah, se todos fossem iguais a você...

Felipe

Michel F.M. disse...

Acordei disposto a ler um texto de algum intelectual, daí passei aqui no seu blog Julinho. Adorei esse texto.

Dale mestre Gerson.

Grande abraço parceiro.