segunda-feira, 8 de junho de 2009

É só uma passagem

No último dia 25 o Guilherme, um colega muito especial da FCA (Faculdade de Comunicação e Artes de Salto), faleceu num trágico e triste acidente de carro. Era um colega mesmo. Nossa relação era cordial e de cumprimentos, sem aprofundamento, mas mesmo com esse contato tão pueril era claro nele uma energia positiva e alegre, energia essa que só pessoas do bem possuem. E quem o conhecia na intimidade pôde relatar isso numa homenagem emocionada no dia 27 na própria FCA. Com aqueles relatos percebemos o quanto ele era especial e divertido, o quanto tinha amigos fiéis que o amavam e o quanto havia deixado uma mensagem boa aqui neste mundão! A última vez que o vi, ele estava conversando com umas amigas e como sempre nos cumprimentamos e depois daquilo, acabou! Nunca mais voltaria a vê-lo.

Na segunda-feira (01), diante da notícia do desaparecimento do avião da Air France não pude deixar de pensar como a vida é uma passagem e apenas isso. É inacreditável pensar que horas antes essas pessoas estavam bem, se despediram de seus familiares e amigos e se foram. Para nunca mais voltar! É assustador, triste! Pais, filhos, irmãos. Todos com alguma história. Importantes na vida de alguém, amados por alguém. Assim como o Guilherme.

Diante dessas tragédias comecei a repensar todas as minhas atitudes, repensar minha vida e o que estou fazendo com ela. Pensei como trato minha mãe, meus amigos, meus irmãos e meu sobrinho. Pensei ainda nas pessoas com o qual nem tenho contato, e nem procuro ter, e que são ligados a mim: pai, outros sobrinhos, primos, avós e tios. Pensei em como a gente pode perder uma pessoa que ama, do nada, sem dizer a ela o quanto a ama. Pensei em como a vida pode não dar chances para voltar atrás, para esquecer as diferenças, para fazer da vida mais leve.

Em mim nasceu uma vontade enorme de ser melhor, de fazer minha vida uma coisa mais bacana e de cultivar da melhor forma possível minhas relações, afinal é apenas isso que levamos e deixamos aqui.

Aos familiares e amigos do Gui e dos que se foram no voo 447 minha energia mais positiva e meus sentimentos mais que tristes e sinceros.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Demais

“Maysa — Quando fala o coração”, minissérie que teve seu ultimo capítulo apresentado na última sexta-feira (16), falou mesmo ao coração, como o subtítulo propunha.

Em um roteiro muito bem amarrado pelo sempre ótimo Manoel Carlos, e por Ângela Chaves, a história não se perdeu em nenhum momento e não caiu em facetas burocráticas, felizmente não foi frio.

Foi uma minissérie que por não se prender á uma narrativa linear, trouxe ao vídeo a desordem da própria Maysa, trouxe ainda uma personagem humana, de verdade, com sentimentos, sentimentos esses que muitas vezes a intempestiva Maysa não demonstrava com tanta facilidade.

O filho, Jayme, na direção com certeza teve o cuidado de aliviar a “barra” de uma figura já tão polêmica e julgada como Maysa, e trouxe mais sutileza a ela, numa forma linda de homenageá-la. Mas foi corajoso e demonstrou que Maysa era Maysa, e ponto.

Larissa Maciel, a Maysa, deu show de interpretação e esteve ótima o tempo todo, foi Maysa sem perder a personalidade, deixando sua marca registrada. Destaque também para Eduardo Semerjian, o André Matarazzo, firme, claro, um ótimo ator. Destaque ainda para o Mateus Solano, o galanteador Ronaldo Bôscoli, divertido e cruel. Perfeito.
O elenco todo esteve ótimo, deram aula de interpretação e emoção.

A minissérie teve ainda mais um grande mérito: trouxe a obra da grande Maysa para o “cartaz”. Quem já conhecia lembrou com nostalgia das lindas canções, e quem não conhecia passou a admirar o trabalho desta que com certeza está no rol das grandes cantoras do Brasil. O gênio de Maysa teve menor importância que a obra de Maysa.

E ainda fica a reflexão para os críticos da personalidade da cantora: Jayme o filho perdôo a mãe, e isso é o mais importante. Quem somos nós para julgá-la?

Arrisco-me a dizer que esta foi à melhor minissérie que eu já vi.
De verdade, tocou meu coração.



video

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Hi!

Estive ausente durante um bom período, tenho certeza que perceberam! :P

E neste período pensei muito sobre o que poderia escrever de bom, pensando num retorno a altura da meia dúzia de leitores deste blog...hehe.

Mas não tive sucesso em minhas reflexões.

Nenhum assunto bárbaro me veio à mente, portanto este post será mais um “estou aqui” do que para tratar de algum assunto de interesse geral.

Ah, pensei também em segmentar o blog para algum assunto mais especifico: política, atualidades, variedades, música, publicidade, sei lá, mas decidi não ficar preso a essas convenções, porque ficar preso não é comigo. Portanto esse blog continuará essa miscelânea que cá está.

Só queria mesmo falar um oi, e dizer que vou tentar ser mais presente nas atualizações deste blog, muito mais para minha alegria e bem-estar do que para qualquer outra coisa.

Quando escrevo no blog é sinal de que algo está bem dentro de mim, de que de alguma forma quis me comunicar com um mundo maior, mais cheio de perspectivas. Este blog é meu mundo, onde eu posso fazer das minhas opiniões algo conhecido e discutido.

Bom é isso!

Até a próxima! :)