segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Chile escolhe direita.

O Chile elegeu ontem Sebastián Piñera para a presidência do país. A direita depois de 20 anos voltará a governar este país que sofreu nos anos de ditadura Pinochet.

Com discurso moderado e política econômica praticamente idêntica a de Bachelet, Piñera conquistou a confiança de 52% de eleitores e derrotou o candidato e ex-presidente Eduardo Frei, representante da centro-esquerda.


Sebastián Piñera (divulgação)

Sebastián Piñera tem 60 anos, é um empresário rico, economista formado em Harvard e deve seguir os passos da política econômica de Bachelet, porém o foco de Sebastián Piñera é a criação de empregos e a reforma de processos com o objetivo de diminuir a corrupção do país. A esquerda é tida como ineficiente no âmbito administrativo. Critícas de sempre!

O que me preocupa é acreditar que o país perde muito no campo social com a vitória da Piñera. O novo presidente é um representante da elite chilena e é difícil imaginar que um governo que tenha como mandatário um homem rico possa olhar com afinco para os pobres. Direita é direita em qualquer lugar do mundo e obviamente pode-se esperar um comportamento de direita do novo governo.


Apoiadores de Piñera comemoram vitória. (Foto: Martin Bernetti)

Só seria loucura pensar que Sebastián Piñera lembrará em alguma coisa o ditador Augusto Pinochet. Isso não. Não cabem mais comportamentos ditatoriais no inteligente e moderno Chile. É esperar para saber se essa foi uma escolha acertada. O que posso desejar é boa sorte. O Chile merece!

Um comentário:

THOMAS MARINHO disse...

Concordo completamente. Achei muito triste a vitória de Sebastián Piñera, principalmente porque, assim como você, tenho medo de que a questão social perca a sua importância para o governo. Mas, graças a Deus, ele não é nenhum Augusto Pinochet. Como vc disse, seria uma loucura classificá-lo assim. Continue nos brindando com os seus excelentes textos!